Migração AM para FM: quais as vantagens da mudança de faixa?

  1. migracao-am-para-fm-quais-as-vantagens-da-mudanca-de-faixa.jpeg

Desde o final do ano passado, depois que o governo federal autorizou a migração de cerca de 240 rádios AM para FM, empresários e técnicos do setor têm corrido atrás dos procedimentos necessários para que suas rádios possam se modernizar.

A autorização, assinada pelo presidente Michel Temer, em outubro passado é uma reivindicação antiga dos donos de rádio no Brasil e traz uma série de vantagens, sobretudo para o ouvinte que mantém o hábito de ouvir rádio pelo aparelho em sua casa.

Uma das diferenças entre AM (Amplitude Modulada) e FM (Frequência Modulada) é a qualidade do sinal. No caso do AM, embora a onda de rádio percorra uma distância maior, ela é mais sujeita a interferências, enquanto, no caso da FM, embora a distância percorrida seja menor, a qualidade do sinal é maior, devido a menor chance de sofrer interferência.

Esse é um dos fatores para a mudança do perfil dos espectadores de rádio no Brasil. Enquanto a audiência vem caindo e o número de pedidos de outorga no AM está estagnado desde 2010, o FM tem atraído novos anunciantes e abrindo novas perspectivas.

No texto de hoje, vamos mostrar 5 vantagens para a migração AM para FM no Brasil. Confira!

Melhor qualidade de áudio

Como dissemos, a interferência das ondas eletromagnéticas na faixa AM é bem maior que na faixa FM. Isso explica os ruídos característicos de transmissões feitas em Amplitude Moderada. Com a migração AM para FM, o áudio ficará mais “limpo” e “claro”, o que melhora a qualidade do som para o ouvinte.

Aumento da audiência

Embora a emissora AM tenha uma amplitude maior de audiência, com ouvintes em um maior número de cidades, sua audiência tende a aumentar. Isso por dois motivos principais: o primeiro é a melhoria na qualidade do áudio. O segundo se dá pela possibilidade de transmissão também via web, o que possibilita que a rádio seja sintonizada em qualquer lugar do mundo.

Convergência digital

Com a evolução tecnológica, o rádio deixou de ser um mero aparelho que fazia companhia às donas de casa e se popularizou — não só ao atingir mais pessoas, mas também por ter sido incluído em outros meios.

A migração AM para FM proporciona, com isso, maior integração das emissoras de rádio em plataformas digitais, como os celulares e os tablets, algo que não acontece com o AM.

Aumento nas contratações

O governo federal estima que a migração AM para FM deve estimular as contratações de novos funcionários para o setor da radiodifusão em todo o país. Além da abertura de novas fronteiras, sobretudo com a convergência para as plataformas digitais, empresários já planejam manter uma programação durante 24 horas, o que não acontecia no AM.

Maior quantidade de canais no FM

Para acomodar o número de emissoras nessa transição do AM para o FM, serão criadas novas faixas. Algumas cidades grandes, por exemplo, não comportam novas emissoras de rádio no espectro e, portanto, a Frequência Modulada, que começa no 88,1FM deverá ser levado para o 76FM em alguns casos. Isso significa maior diversidade de estações no seu dial e com melhor qualidade de áudio.

Agora que você sabe um pouco mais sobre o processo de migração AM para FM no rádio, que deve atravessar os próximos anos, conheça quais as mudanças estão ocorrendo nas emissoras para modernizar seu formato e conteúdo e atingir cada vez mais ouvintes.

Comentários

Posted in:
Sobre o autor

Bruno Faria

Publicitário por formação, atua há mais de 4 anos no setor de Marketing da Teletronix, uma empresa com mais de 20 anos produzindo equipamentos para emissoras de rádio e TV.

Deixe uma resposta